terça-feira, 4 de agosto de 2009

Review Ponyo



Falaí, pessoas!


Cá estou eu de novo! Calma, dessa vez não é de nenhuma série que vou falar! Vim fazer com que vocês tenham vontade de assistir essa obra maravilhosa que é Ponyo. Na verdade ter o selo “Hayao Miyazaki” e dizer que é maravilhoso é meio redundante, o cara é sinistro mesmo.


Antes de mais nada, sim, sou uma completa baba-ovo do Miyazaki, mas ele é absolutamente babaca. Isso não tira a “fodeza” dele, ele realmente é um gênio da animação e os roteiros são sempre incríveis. Mas não justifica o impressionante grau de babaquice dele. Calma, vou explicar... alguns anos atrás, quando a revista Henshin sobre mangas e animes ainda era lançada (pela JBC se não me engano) li uma entrevista com o Hayao Miyazaki. Eu nunca tinha assistido a nenhuma obra dele e fiquei alguns anos sem fazê-lo pelo do trauma que essa entrevista me causou. Como não achei a minha edição que tem essa entrevista e nem achei disponível na internet, não posso transcrever exatamente as palavras dele, mas quando perguntado sobre a opinião dele da indústria de animes da época, a resposta foi algo como: “os mangakás de hoje em dia perderam a criatividade, não há nada original, exemplo disso é Sailor Moon e Saint Seiya” e por aí foi. Não enxergo de forma alguma como ele poderia ter o direito de desmerecer outras obras só por ser considerado o mestre da animação. Enquanto eu fazia pesquisas para escrever essa review vi que ele disse que “decidiu fazer o longa porque não gostou muito da versão recente da Disney” (se referindo a “Procurando Nemo” e à similaridade com “A Pequena Sereia”). Opaaa, peraí! Qual era o lance sobre originalidade mesmo?!


Enfim, vim falar sobre Ponyo, não sobre a babaquice do Miyazaki e já me estendi demais nesse assunto, hehehe.


Pois então. Ponyo (Gake no Ue no Ponyo em japonês, cuja tradução seria “Ponyo no Penhasco à Beira do Mar”) já estreou no Japão arrasando as bilheterias, como é de costume quando se trata das obras do Miyazaki. Chega em 14 de Agosto nos cinemas do mundo (do mundo civilizado e sem atraso tecnológico, pelo menos) e em 9 de Outubro no Brasil. Maaaaaaas euzinha, em minhas idas semanais ao Japão, assisti e trago em primeira mão esta review!!!


Sosuke é um menino de 5 anos que mora com sua mãe numa cidade portuária, e é feliz com sua família, apesar de o pai estar sempre fora por causa do trabalho nas viagens de barco. Sua vida sai da rotina normal quando encontra um peixe (uma peixa?) e passa a cuidar dela, batizando-a de Ponyo. No entanto, Ponyo não é um peixe normal e sua vontade de estar com Sosuke causa muita confusão à cidade e aos seus pais, ainda mais quando ela consegue desenvolver membros e aparência humana. A história é fofinha e vai por aí, mas a grande sacada do roteiro é a preocupação ambiental: a vida marinha sendo arrasada pelas atividades pesqueiras, poluição por causa dos combustíveis, a natureza se revoltando e ameaçando a cidade, o equilíbrio entre o estilo de vida humano e a natureza. Esse viés ambiental está sempre presente em suas obras, como em Kaze no Tani no Naushika (Nausicaä do Vale dos Ventos), Mononoke-hime (Princesa Mononoke) e Hauru no Ugoku Shiro (O Castelo Animado).


Esse longa é claramente mais direcionado ao público infantil e possui menos complexidade de roteiro que outras obras como Sen To Chihiro no Kamikakushi (A Viagem de Chihiro), porém não deixa de ser maravilhoso (estou me repetindo muito com esse adjetivo, não é? Mas não dá pra descrever de outra forma!), assim como as escolhas da trilha sonora, a música de abertura é emocionante.


Todos já sabem a minha opinião sobre Ponyo, certo? Não deixem de assistir e não se deixem levar pelo meu “pequeno” parágrafo de críticas à personalidade do autor, até hoje nenhum de seus filmes me decepcionou, pelo contrário, terminei todos eles com uma expressão embasbacada na cara. Recomendo também todos esses filmes que citei durante o texto, com ênfase n’O Castelo Animado e em Princesa Mononoke. E eu tentei me controlar pra não colocar isso aqui, mas whatever, aí vai a filmografia do cara – o único que ainda não vi é Tonari no Totoro – (diretamente da Wikipedia xD):

  • Kaze no Tani no Naushika (風の谷のナウシ , Kaze no tani no Naushika) - (em inglês: Nausicaä of the Valley of Wind), 1984
  • Tenkû no Shiro Rapyuta (天空の城ラピュタ , Tenkû no shiro Rapy) ) - (em inglês: Laputa: The Castle in the Sky), 1986
  • Tonari no Totoro (となりのトトロ, Tonari no Totoro) - (em português: Meu Vizinho Totoro ou Meu amigo Totoro), 1988
  • Majo no Takkyûbin (魔女の宅急便 , Majo no takkyûbin) - (em português: Serviço de entregas da Kiki), 1989
  • Kurenai no Buta (紅の豚, Kurenai no buta) - Porco Rosso, 1992
  • On Your Mark (vídeo-clipe de Chage & Aska), 1995
  • Mononoke-hime (もののけ姫, Mononoke-hime) - (em português: Princesa Mononoke), 1997
  • Sen to Chihiro no Kamikakushi (千と千尋の神隠し, Sen to Chihiro no kamikakush) - (em português: A Viagem de Chihiro), 2001
  • Hauru no Ugoku Shiro (ハウルの動く城, Hauru no ugoku shiro) - (em português: O Castelo Animado ou O Castelo Andante), 2004
  • Gake no Ue no Ponyo (崖の上のポニョ, Gake no ue no Ponyo) - (em inglês: Ponyo on the Cliff), 2008

2 comentários:

Rafero disse...

Que nem eu falei com vc mais cedo...
Obrigado ^^

Barbosa disse...

Nossa que foda em?? Diretamente do japão ^^. O filem aprece bem legal animizinho bem basic da vontade de ver, espero que chegue na minha humilde cidadizinha ...