terça-feira, 28 de julho de 2009

Rolando os Dados


Olá senhoras e senhores roladores de dados! Cá estou eu novamente, dessa vez para comentar algo prometido faz vários posts atrás (que eu tinha esquecido, mas tudo bem, rs)

O Mestre e por que ele rouba! (ou "driblando as regras em favor da diversão")

Sim, senhoras e senhores, existe um jogador no grupo que não está tão submetido às regras do jogo como todos os outros. Esse "jogador diferenciado" é o Mestre, e ele tem o "poder" de torcer as regras, modificá-las um pouco, ou mesmo ignorar algumas delas! E, pasmem, tudo isso com o consentimento dos jogadores. Mas acalmem-se. Antes de apedrejar esse "trapaceiro", eu os convido à um exercício de imaginação.


Imaginem o seguinte: Vocês estão vendo um bom filme, onde um herói (que chamaremos de...hum... deixa ver... sim... chamaremos de Viggo) está prestes a enfrentar um monstro.
Nosso herói enfrentará um cavaleiro negro.
Viggo corre em direção ao seu inimigo, com sua espada em punho. O inimigo, aterrorizador e imponente gargalha friamente, fazendo a espinha do nosso herói (e os pelos da nuca dos espectadores) gelar e se arrepiar. Viggo percebe que seu inimigo é mais rápido que ele.

O cavaleiro negro levanta sua espada ameaçadoramente e...

Tropeça na barra das vestes, caindo de cara no chão, sua espada ameaçadora caindo de suas mãos com estrépito...

Sério... posso estar enganado, mas com essa "ceninha trapalhões", o cavaleiro negro acaba de perder TODO O RESPEITO que o nosso herói (e o espectador) tinham por ele.

Nosso cavaleiro negro amedrontador virou uma piada. Tudo isso porque, na hora de rolar os dados para desferir o ataque do cavaleiro, caiu o pior numero possível (que nós chamamos carinhosamente de Erro crítico).

Tudo bem, pelas regras, o cavaleiro errou o ataque dessa forma bizonha. Mas, vamos lá, ele é o grande inimigo da masmorra. O inimigo pelo qual os jogadores esperam faz algumas semanas, quando iniciou-se a primeira aventura onde os personagens adentraram esse covil. Chega a ser uma falta de respeito que o monstro que os deixou "na tensão" por tantas aventuras seja uma piada.

É em um momento como esse que o mestre "dá uma roubadinha". Nada muito ilícito, algo apenas para "dar cor" e um clima melhor para o momento.

Imaginem então que o cavaleiro desferiu um golpe em Viggo, e o errou por centímetros. A lâmina do cavaleiro raspando os cabelos de nosso herói, tão perto o golpe chegou de atingi-lo (Nessa hora, no cinema, as pessoas fazem "uhhhh" e colam nas cadeiras). Viggo continua tenso e se prepara para contra-atacar.

Viram? O resultado da cena, em regras, é o mesmo. O ataque do vilão errou o alvo. Mas, na segunda forma, a tensão continua no ar. O inimigo não foi ridicularizado.

Mas acalmem-se, acalmem-se. Nosso amigo Mestre não rouba apenas em função dos vilões, seus apressados!

Imagine como seria se, ao invés de um erro crítico, o cavaleiro negro tivesse rolado um Sucesso decisivo (o melhor resultado possível). O mestre então descreve a cena como um belo ataque que acerta nosso herói. O mestre então rola os dados de dano e descobre que o ataque mataria o herói.

Mas...peraí um instante! Semanas de aventura aconteceram, tensão e tudo mais, pro combate final acabar em um segundo?? Não se nosso mestre puder evitar! Ele então descreve o ataque como um corte que fere bastante nosso herói. Mas na hora de dizer o dano para o jogador, nosso hábil mestre reduz um pouco o estrago, deixando nosso herói ferido, mas em condicões de prosseguir lutando.

Eu poderia dar mais muitos exemplos dessa roubalheira, mas acho que vocês entenderam o espírito. Às vezes a história e a diversão vão de encontro às regras. É nessas horas que um mestre com bom senso dribla as regras, fazendo com que a história fique mais emocionante, proporcionando novos momentos de diversão.

O que, claro, não quer dizer que o vilão ou os heróis não possam morrer. Mas, independente de quem vença a batalha, o combate em si tem que ser tenso, divertido, uma boa batalha pra ser lembrada.

E, você me pergunta, como o mestre esconde o resultado dos dados?

Ele usa um escudo. Um pedaço de papel mais rígido, dobrado de forma a ficar de pé. Assim os dados do mestre nunca são conhecidos pelos jogadores, e eles simplesmente não sabem quando o mestre alterou os resultados! Brilhante, não? Assim a "magia" da coisa não se perde. Os jogadores não ficarão achando que seu personagem foi "salvo pelo mestre", nem irritados porque o mestre "salvou o vilão".

E o bom mestre é aquele com o qual se passa uma aventura inteira e os jogadores acham que ele simplesmente nem precisou "roubar"

Sim pessoal. O "trabalho" do mestre exige bastante bom senso. Afinal, uma pessoa mais competitiva como mestre pode querer sempre alterar as regras para que "seus monstros" vençam as batalhas. E, no outro extremo, um mestre "facilitador"demais pode sempre salvar seus jogadores de tudo, fazendo com que eles não mais fiquem tensos frente aos desafios, e acabem encarando a entrada de uma masmorra sinistra como mais um passeio no parque.

É isso aí galera. Acho que me estendi um pouquinho. Gomen!

Boa semana para todos vocês!

E que vocês rolem bons dados!

o/
PS: Semana que vem, não percam! O início do "Rolando os Dados - Como lidar com..."
See ya!

7 comentários:

Rodoxfrog disse...

Está aí, mais um post ^^.

Peço desculpas por alguns erros de formatação (Tem texto que ficou meio "encavalado", na minha opinião), mas eu tentei de várias formas corrigir e o editor simplesmente ignora minha vontade na hora de publicar a postagem. Gomen!

Até mais pra todos, e tentarei fazer com que esse tipo de coisa não ocorra mais.

o/

Marcus Mattos disse...

Então os malditos mestres roubam????
Bem q eu desconfiava do escudo do mestre!!!
kkkkkkkkkkk....
Boa cara, é sempre bom que ocorram aventuras onde nenhum erro critico acabe com meses de luta...
mas fala pra mim!!! e aquele 20 no chefão da dungeon quando todos já estão quase mortos, sem magias e mais nada que os salve???
esse acerto critico sim vale a pena...

Rodox disse...

@ Marcus - Sim cara, esse crítico é excelente!! É tudo que um mestre quer! Finalizar o combate com um golpe IRADO!

Aí tá valendo XD

Mynssen disse...

Falae Rodox.
Cara, eu não jogo e na única vez que tentei jogar RPG não deu mt certo, mas lendo sua coluna dá até vontade de jogar.. ^^
E parabéns por fazer textos interessantes até pra pessoas que não são muito envolvidas na área, como esse que vos escreve.
Teh a próxima!

Rodoxfrog disse...

@ Mynssen - Rapaz, muito obrigado pelo "parabéns"! Valeu mesmo!Tenho muito o que aprender, mas receber feedback positivo é ótimo!
E po, quanto a vontade de jogar, quem sabe não se junta um grupo e joga-se? (talvez um dia a gente possa fazer o "sub ghadernal day of rpg" rsrsrs)

@ Lory - Obrigado! Mega obrigado pelo elogio! Se o "sub ghadernal day of rpg rolar", rsrs, jogue tambémmm!!

Até mais pra todos!

Rafero disse...

@Rodox (Por que você se dá ao trabalho de acrescentar coisa como comentário depois, ao invés de colocar tudo no post??) Enfim, o SGDOR é só pra colaboradores ativos! Então,
@Lory, trate de participar, como eu já venho pedindo há tanto tempo!
@Marcus Pois é, precisa ver como roubam... os personagens do Rodox encontram "acidentalmente" tantos itens fodas quando ele tá mestrando...

Rodox disse...

@ Rafero - caô!! É DE PROPÓSITO MESMO!! Hahahahahahahahha