sábado, 26 de setembro de 2009

Aleatoriamente Falando II - O Retorno

Olá novamente pessoas!

Apesar de ninguém (nem eu) acreditar que existiria algum dia um projeto meu com continuidade, aqui estamos novamente (e dentro do prazo... será o apocalipse? O_o) com a Aleatoriamente Falando II - O Retorno!

Essa semana monologarei (essa palavra existe? se não existe considere-me um neologista [essa palavra existe? se não existe considere-se um chato por ficar corrigindo os outros]) sobre experiências de infância que você nunca esquece. Traumas infantis para ser mais específico.
- Humm, profundo isso. Até que enfim algum conteúdo.
- Não, na verdade não..



Nós sempre achamos que, não importa o que aconteça, as crianças "vão esquecer disso amanhã" e falamos/agimos sem nos importar muitos com isso.

E é daí que vem os serial killers...

Um exemplo da vida estranha deste que vos fala:
Eu sempre fui chato pra comer. Comia pouco, só gostava de besteira, enfim, um nojento.
Lá estava eu na casa da minha vó (que é portuguesa, então muita gente diz que não entende nada que ela fala, mas eu entendo tudo porque sempre convivi com ela, mas quando chega algum outro português eu também não entendo lhufas. Não é incrível? Não!? Puxa.. tenho que parar com as informações inúteis..) brincando na varanda.
Numa hora infeliz resolvi entrar para assistir TV e lá estava minha vó tranquila sentada no sofá.
Eis que passa um comercial (que eu não faço a menor idéia sobre o que era) em que um homem ia virando gradativamente um macaco (tinha uma narração no fundo passando alguma mensagem, mas sinceramente caguei pra ela. Tinha um cara virando macaco na tv poha!) e com a curiosidade infantil que me abundava perguntei: vó, porque ele virou um macaco?
- Porque ele não come direito....
- Hum, tá bom, é sim... *sorriso amarelo*
Fingi ceticismo, mas já estava me vendo emacacando (neologismo novamente). O estranho é que eu nem sequer cogitei a possibilidade de passar a comer direito.Eu simplesmente aceitei que estava condenado e perdi a felicidade de viver.

Isso nos leva a outro ponto. Se você diz essas coisas para um criança apenas pelo prazer de se vingar pelo que fizeram com você enquanto era uma delas, ou para adoçar momentaneamente sua vida amarga com uma dose de desespero alheio, OK. Mas se está tentando ensinar algo a ela sinto informar que não, você não vai conseguir (a menos que você queira ensinar o quanto o mundo é ruim, mas isso se encaixa na possibilidade anterior).

Mas talvez as maiores causadoras de traumas de infância são as boas e (muito) velhas crendices populares.
Perdi a conta de quantas vezes prendi o pé do meu irmão quando ele passava por cima de mim enquanto eu estava deitado no chão, porque "senão não ia mais crescer" ou desvirei o chinelo porque "senão a mãe morre" e soprei os olhos, também do meu irmão, quando ele fingia que estava vesgo porque "se batesse vento ele ficava assim pra sempre" (sim, crianças são criaturas sem perdão, misericórdia ou compaixão). O incrível é que nunca acontecia algo de bom, o "senão" era sempre uma praga miserável. Mas o meu preferido era um que eu acredito que nem é muito conhecido: Se duas pessoas se olhassem no mesmo espelho ao mesmo tempo, uma morria (na verdade morte é o resultado de metade das crendices. só variando a crueldade com a qual a mesma ocorre), e ainda havia um requinte de sofisticação, pois sabia-se que era a que estava lá primeiro que batia as botas. O resultado era um revezamento entre meu irmão e eu para "entrar" no espelho enquanto o outro se via..(como eu disse, misericórdia infantil é lenda urbana).

Só pra terminar, uma outra experiência traumática da minha pessoa:
Estava assistindo TV já a uma certa altura da noite em que costumava estar dormindo.
De repente começa um filme policial comum.
Tudo ia bem, o policial ia pegar os bandidos como sempre faz (pelo menos os meu heróis de infância sempre faziam.. Stallone, Schwarzenegger e Van Damme não perdoavam.. já não se fazem mais heróis como antigamente.. mas isso é assunto pra outra coluna..), até ele entrar num galpão ou algo parecido..
Tudo vazio, cena tranquila, os bandidos provavelmente fugiram.. tudo bem..
Até que aparece um bandido. As portas fecham. Aparecem MUITOS bandidos, todos fortemente armados. O bandido que apareceu primeiro fala alguma coisa e vai embora..
Ah, tudo bem, foi só um aviso, eles ainda vão pagar caro por isso e ... OH MEU DEUS!
CRACK! (som da inocência sendo destruída)
Seguem aê uns dois minutos de sangue jorrando e membros voando, despedaçados pela balas.

Mas que mente doente faz um filme assim?

Pessoas que não comem direito.. O_o


Post Scriptum Area


P.S. Provavelmente a cena não é assim, nunca mais a vi, a descrição acima é só a versão fantasiosa da minha mente (ou não, esse pessoal de Hollywood é doente..).

P.P.S. Pois é, eu utilizei esse espaço como terapia.

P.P.P.S. Não, você não pode fazer o mesmo.

P.P.P.P.S. Ignore a mensagem anterior, estava de mal-humor porque lembrei do Robocop.

P.P.P.P.P.S. Utilizem o espaço para comentar seus próprios traumas de infância e sabermos que não estamos sozinhos, somos todos sequelados. Sub-Ghadernal interativo! \o/

P.P.P.P.P.P.S. Pesquisei e descobri que "monologar" existe sim. Já "neologista" é neologismo mesmo... (pelo menos não existe no Aurélio Online). "Emacacando" eu nem me dei ao trabalho de procurar.

P.P.P.P.P.P.P.S. Se estiver passando Robocop na TV eu ainda fico meio enjoado, até o desenho fazia isso.

P.P.P.P.P.P.P.P.S. A informação anterior foi muito, mas muito inútil mesmo.

4 comentários:

Mynssen disse...

Bom gente, taê a segunda edição da Aleatoriamente Falando, espero que gostem!
Só pra dar uma avisada prévia, o Rafero está sem net, por isso a demora nos posts, então só lancei a coluna agora a tarde porque não sabia se alguém postaria sexta a noite (já estava pronta antes, fiz no prazo, eu juro..).
Enfim, comentem e participem para a coluna e o Sub-Gadhernal crescerem.
Até mais!
Abraço a todos! o/

Rodoxfrog disse...

Bom espaço terapêutico aí, rsrsrsrs

Traumas de infância é du mau... XD

Vida longa ao SubGH

Rafero disse...

Acho que eu vou começar a guardar meus comentários pra cá, ao inves de falar com vc direto..
enfim =D

Mynssen disse...

Bom, mt melhor esse espaço pra comentar..
Pelo menos eu achei. Sempre eskecia da poha do código de segurança. =/