segunda-feira, 29 de junho de 2009

The Night of The Walking Skull



































EDIT: Esqueci de agradecer a Puni Puni Poemi, pelos figurantes!

10 comentários:

Rafero disse...

Quatro minutos de atraso, embora o blog queira omitir este fato...

Rodoxfrog disse...

Tä muito maneiroooo!!!! Valeu esperar!
Arte boa, easter egg maneiro, e deu vontade de saber como continua!

Hasta!

Lory disse...

Queria matar de curiosidade né... pois quase conseguiu.... hehehe. Mas entre mortos e feridos, todos se salvaram :p e pode carimbar o selo de aprovação, hehehe.

Açs, meninos

Marcus Mattos disse...

bom post...fiquei curioso pela sequencia...
Boa arte mesmo...
parabéns

Rafero disse...

@Lory brigado, chinchila cor-de-mel ;)
@Marcus @Rodox Continua na próxima! vlw pelos elogios! \o/

Lory disse...

Ei Rafero, sabia que um dia vc ia conseguir corresponder aos meus coments (vc bem sabe do que falo)... hehehe. Só me resta te dar os Parabéns!!

Abçs, meninos

Adele disse...

ODIEI!!
HAUHAUHAUHAUAHUAHAH!!!
Ficou foda! Parabéns, miguxo! Te admiro!
Bjks!

Adele disse...

Não sei se vc gosta de Legião Urbana (eu adoro! que se dane sua opinião! rs!), mas quem sabe um dia vc poderia escrever um mangá baseado nessa música: Metal Contra as Nuvens
Não sou escravo de ninguém
Ninguém senhor do meu domínio
Sei o que devo defender
E por valor eu tenho
E temo o que agora se desfaz
Viajamos sete léguas
Por entre abismos e florestas
Por Deus nunca me vi tão só
É a própria fé o que destrói
Estes são dias desleais
Eu sou metal
Raio, relâmpago e trovão
Eu sou metal
Eu sou o ouro em seu brasão
Eu sou metal
Sabe-me o sopro do dragão
Reconheço meu pesar
Quando tudo é traição
O que venho encontrar
É a virtude em outras mãos.
Minha terra é a terra que é minha
E sempre será
Minha terra
Tem a lua, tem estrelas
E sempre terá
Quase acreditei na tua promessa
E o que vejo é fome e destruição
Perdi a minha sela e a minha espada
Perdi o meu castelo e minha princesa
Quase acreditei, quase acreditei
E, por honra, se existir verdade
Existem os tolos e existe o ladrão
E há quem se alimente do que é roubo.
Mas vou guardar o meu tesouro
Caso você esteja mentindo.
Olha o sopro do dragão
É a verdade o que assombra
O descaso que condena
A estupidez o que destrói
Eu vejo tudo que se foi
E o que não existe mais
Tenho os sentidos já dormentes
O corpo quer, a alma entende
Esta é a terra-de-ninguém
Sei que devo resistir
Eu quero a espada em minhas mãos
Eu sou metal - raio, relâmpago e trovão
Eu sou metal: eu sou o ouro em seu brasão
Eu sou metal: me sabe o sopro do dragão
Não me entrego sem lutar
Tenho ainda coração
Não aprendi a me render
Que caia o inimigo então
Tudo passa
Tudo passará
E nossa história
Não estará
Pelo avesso assim
Sem final feliz
Teremos coisas bonitas pra contar
E até lá
Vamos viver
Temos muito ainda por fazer
Não olhe pra trás
Apenas começamos
O mundo começa agora, ahh!
Apenas começamos.

Rafero disse...

@Adele eu gosto de legiao sim xD
Metal contra as nuvens é meio complicada, pq cada trecho eh uma negação do trecho anterior... mó loucura...
mas prometo que vou tentar!

Danijija disse...

Na moral! Coitada da Fumiko!!! Ahuahua, continua logooooo! E esse Sr. Mistério me lembrou o Faust VIII!!