terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Sobre rivais

Ah... Nada como um rival pra incentivar qualquer que seja sua vontade.


Digo isso baseado em experiência própria. Segue um pouco da história:

Quando eu era MUITO moleque, eu já desenhava. Até gostava de escrever histórias (isso incentivado por Turma da Mônica e Homem-Aranha).
Mas meio que ficava no básico mesmo.

Na minha adolescência (na verdade com 9 anos), eu conheci meu Melhor Amigo (assim, mesmo, com maiúsculas), que, uau, desenhava e também escrevia. Ele inclusive me apresentou esse tal de RPG.
E poatz, como esse cara é talentoso. Que merda, já desenhava bem demais, escrevia histórias complexas; caracas, até a letra do cara é foda.
(Não sei como que tá a letra do cara agora que ele tá se formando médico, mas na época era foda).

E eu, na época sem declarar abertamente, comecei a praticar desenho, escrita e afins, almejando superar o cara.
(Só a letra que eu nunca nem tentei melhorar...)

E o engraçado é que, durante a adolescência, eu esperava possuir algum talento, qualquer um que me fizesse me destacar, como todo adolescente.
Durante a minha primeira e única aula de violão com um amigo (abraço, Dí!), eu me frustrei porque esperava/queria que eu dominasse aquela arte sem esforço. Enquanto remoía minha decepção, eu desenhava na última página do caderno.
Fui jogar basquete uma vez com um primo, esperando que eu conseguisse correr mais rápido e pular mais alto que todo mundo. É óbvio que, magrelo como sou, fui o mais prego do mundo.
E, enquanto pensava se devia ou não me tornar um emo depressivo (em uma época que isso nem existia), eu desenhava num bloco de folhas A4.

Durante todo o colégio, não importa o que acontecesse, eu sempre tirava um tempo pra desenhar, sem nem saber o porque disso (além do fato de gostar MUITO).

A faculdade veio e se foi, e eu continuava desenhando, indo de folhas A4 até pacotes e pacotes de A3 (que é maior que A4).

Só há pouquíssimo tempo meu rival e eu começamos a competir abertamente. E, vejam só, eu finalmente tinha chegado no nível dele.
(Assim, eu passo boa parte do meu tempo estudando a estrutura das histórias em quadrinhos e seus elementos, então em alguns pontos, como cenário e diagramação, eu o superei; mas no geral, o maldito talentoso continua anos-luz à minha frente, afinal, ele não ficou sem praticar durante esses anos todos).


E agora, meu nível de desenho não para de subir, tudo isso porque eu estou me dedicando como nunca, em busca de superar essa barreira. Se com isso eu conseguir ganhar algum concurso, ou conseguir uma vaga como ilustrador ou o que for, foi só porque havia uma pessoa que eu tentei superar com todas as minhas forças.

Mas e todos aquelas outras vontades? Possuo amigos que são MUITO bons em todas elas (abraço, Dí!), e são/seriam rivais em potenciais.
Mas, a princípio, pra mim, não há nenhum outro sonho ou hobby ou até mesmo vontade que supere a de desenhar e escrever.

Eu gosto muito de jogar Go, por exemplo, mas não como tenho esse sentimento de rivalidade com ninguém, não vem aquela vontade de melhorar mais e mais. Não além da vontade básica de sempre SE superar.

Mas se você se superar, você vai tirar onda com a cara de quem?



Pra terminar, alguns rivais das ficções!

Ryu x Ken (Street Fighter)
Esse tópico dá até briga pela internet;
Na minha humilde opinião, apesar de achar que o Ryu é o mais fodão, o Ken vence essa disputa. Afinal o Ryu dedica sua vida às artes marciais (caracas, ele dispensou a Chun Li, por ela “ser uma distração em potencial”), enquanto o Ken é um playboy que, no máximo, pratica de vez em quando. E os dois estão sempre em pé de igualdade.

Ok, o Ryu está um pouco na frente.


Legolas x Gimli (Senhor dos Aneis)
O elfo e o anão, membros da Irmandade do Anel (acho mais estiloso do que “Sociedade”), que se tornaram grandes amigos, apesar de toda aquela inimizade clássica das duas raças em RPG.
Além de grandes amigos, eles possuem uma rivalidade muito forte em batalha, sempre mantendo a contagem de quantos inimigos derrubaram.


Kyo Kusanagi x Iori Yagami (The King of Fighters)
Esses dois representam uma outra categoria de rivalidade: a inimizade declarada. Eles sempre tentam superar um ao outro, mas não há nenhum traço de amizade nessa relação. Acredito que eles não chegariam ao ponto de matar um ao outro, pois deve ser horrível, após tanto tempo, você perder um rival. Seria como perder um objetivo, uma meta.
Apesar de um constante risco de morrer te incentivar MUITO a melhorar sempre, acho que não seria muito recomendável. Mas aceito sugestões.


Falando em sugestões, você lembra de mais algum rival das ficções?

Abraços e até a próxima! (prometo que será mais em breve)

Ah! E, mais apropriado que nunca ao tema:
Benkyo, benkyo, benkyo!!!



Texto escrito ao som de Freedom Call, com a música Warriors.

3 comentários:

Marcus Mattos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcus Mattos disse...

Cara foi mal n passar por aqui, mas depois de tanto tempo parado eu n sabia que tinha voltado com novos post.
Sei que está meio velho, mas vim mais com o objetivo de incentivar seus post, afinal o sub gadernal sempre foi um Blog maneiro (quando em atividade).
Sua história de vida é interessante cara, um cara que vc sempre quis superar. Isso é com certeza um baita incentivo.

Na ficção. lembro-me de alguns:
Ash x Gary (pokemon)
Kakashi x Gai (Naruto)
Naruto x Sasuke (Naruto)
Hinata x Neiji (Naruto)
naruto na verdade está cheio de exemplos do tipo
Tem os mais antigos
Speeder Racer x Corredor X
só lembro desses agora.

PS: Fomos em angra no inicio do ano e vc nem passou lá...que vacilo...

Rafero disse...

@Marcus Vlw pelas palavras, cara! Se o Rodox nao te contou, você eh um cara que tah na minha lista de Natal =D
Engraçado, eu passei a infancia assistindo Pokemon e dps a adolescencia assistindo Naruto e nao lembrei de nenhum desses ahahaha
E parabens pelo Corredor X, cara ahuahauhahahaaaaaaaaaaa